sexta-feira, 11 de outubro de 2013

Conversa de Contracapa # 02

Conversa de Contracapa é coluna off topic do blog Além da Contracapa. Sem limitação temática, iremos explorar todo e qualquer assunto relacionado ao mundo da literatura. 

O universo literário inspirou e inspira diversos filmes e séries de TV e já se tornou de praxe dizer que o “livro é sempre melhor”, porém isso não é necessariamente verdade. A questão é: o que faz com que uma adaptação seja boa ou ruim? É a fidedignidade à obra original? É ressaltar o que a história tem de melhor e contornar o que não é tão bom? Difícil afirmar, pois cada caso é um caso. Para esse texto, optamos por analisar a série Under the Dome / Sob a Redoma, baseada no livro homônimo de Stephen King. Um caso de um ótimo livro que rendeu uma adaptação medíocre.

Antes de mais nada é preciso dizer que Sob a Redoma é um livro riquíssimo e teria tudo para render uma excelente série. Como premissa temos uma pequena cidade que um dia, sem explicação, passa a ser cercada por uma redoma invisível. Esse evento misterioso é o estopim para uma série de conflitos que se intensificam quanto mais encurraladas as pessoas se sentem e sua verdadeira natureza começa a vir à tona, originando as alianças mais inusitadas.

Quando começamos a assistir Under the Dome nossa expectativa era que a série trabalhasse esses conflitos de maneira ampla, de forma que deles surgissem novos conflitos que poderiam se prolongar por diversas temporadas. Qual não foi nossa surpresa ao constatar que a série não abordava nenhum conflito verdadeiramente interessante e que as relações dos personagens foram resumidas a alianças absolutamente banais e insossas?

Por isso, cremos que o grande problema da adaptação foi o enfoque. Enquanto o livro foca nos inúmeros conflitos que são consequência do surgimento da redoma, assim como nos constantes jogos de poder, a série envereda pelo caminho de explorar o que é o misterioso campo de força. Ou seja, o livro conta o que acontece com os moradores de Chester’s Mill em um momento de crise, enquanto a série tenta explicar o que originou a redoma, deixando o que a obra de Stephen King tem de melhor em segundo plano.

Opções promissoras - como fazer de Barbie um personagem misterioso com um passado não tão limpo, ou transformar as crianças do livro em adolescentes na série - não foram bem aproveitadas e ao invés de utilizar ao máximo o que o livro já tinha, a série apresenta novos personagens que não contribuem em nada - como o casal de lésbicas – ou que não são aproveitados em todo o seu possível potencial (e isso é uma mera conjectura), como Max.

Mas não resta dúvidas que um dos erros mais graves da série é não aproveitar um grande personagem que King entrega de bandeja. O detestável, ambicioso, fanático, inescrupuloso e desprezível Big Jim Rennie. O homem que amamos odiar no livro perde-se na tela de TV tornando-se alguém que, no máximo, comete erros ocasionais e se envolve em algumas atividades obscuras. Seu filho, Junior, um personagem quase perturbador no livro, se revela nada mais que um idiota na série.

Nossa experiência com Under the Dome nos lembrou as últimas temporadas da finada série Lost. Episódios mornos e monótonos que em seus últimos cinco minutos contavam com algum acontecimento empolgante. Porém, a empolgação não durava nem os primeiros minutos do episódio seguinte, que retornava ao ritmo lento.

Mesmo instruídos pelo próprio Stephen King a não fazer comparações, temos que reconhecer que assistimos a adaptação sob a sombra do livro e devido a isso era inevitável não tentar encontrar na tela o mundo criado por King nas páginas. Por isso, a pergunta que pairava sobre nós a cada episódio assistido era: se não tivéssemos lido o livro, será que acharíamos essa uma boa série de TV? E a cada episódio nossa resposta era: não.

Em sua primeira temporada, Under the Dome parece ser uma série que não sabe para onde vai, na qual nenhum dos arcos propostos funciona e nenhum dos personagens cativa (para o bem, ou para o mal). Estar “sob a redoma” é uma situação e o fascinante é descobrir o que acontece com as pessoas que estão nessa situação e não o que a originou ou o que ela significa. Por isso, passado o season finale, decidimos nos libertar desta redoma. Não retornaremos a Chester’s Mill para a segunda temporada.


15 comentários:

beth disse...

Realmente é uma pena esse tipo de trabalho. O autor deve ter se sentido desvalorizado até. Um rico enredo pra ser explorado e mal usado é de matar qualquer um. Não vi essa série ainda e acho que nem vou ver. Sem dúvida nenhuma fico com a leitura do livro. Tem mais emoção e nossa imaginação não falha. Viaja e interpreta os textos melhor que a direção do filme ou série em questão. Beijos.

Gabriela Cerutti Zimmermann disse...

Eu ainda não li o livro, mas a série realmente é bem fraca. Só não faço a mesma comparação com as últimas temporadas de Lost porque eu gostei. Mas Under the Dome é bem exaustiva, com tramas desinteressantes, personagens que não cativam e atores fracos. Também não sei se assistirei a 2ª temporada.

Abraço!
http://constantesevariaveis.blogspot.com.br/

Ana Paula Barreto disse...

Não tem como não fazer comparações, né?
Eu não assisti a série porque não li o livro ainda e quero ter a melhor experiência possível com a obra original.
De qualquer forma, adaptações tendem a cair no erro. Seja por enfoque errado, seja por péssima execução. E mesmo que seja bem feita, seria bem difícil alcançar os padrões que cada leitor tem na mente. rs
obs: Não concordo com a observação sobre LOST. Foi uma das melhores séries que já vi e curti cada episódio (inclusive o final)! rsrs
bjs
Ana Paula Barreto

Adriana disse...

Acho até um desrespeito com o próprio King, a adaptação desse livro pra série, ser tão ruim, porque realmente não dá pra entender, se o livro possui um ótimo enredo, personagens que cativam e situações que rendem e e muito ótimas cenas de vídeo, porque então mudar o roteiro? Mudar a personalidade de alguns personagens? Fica essa pergunta e também a certeza de que não querer assistir essa série, infelizmente!

Douglas Fernandes disse...

Poxa... concordo, o livro é muito bom mesmo pra mim a série nao tem nada a ver com o livro, unica coisa que tem relação é a redoma, vários personagens sao completamente diferentes do que no livro, outros varios personagens importantes foram "excluidos" Seria melhor fazer uma unica temporada da serie seguindo mais detalhadamente o livro do que inventar um monte de temporadas e a coisa virar uma porcaria... infelizmente vai ser isso... :(

Cristiane de oliveira disse...

Eu não li o livro ainda e nem sabia da série, estou meia por fora dos seriados e como não gosto mesmo das adaptações provavelmente não vou ver ainda mais sendo fraco assim , já o livro estou criando coragem pra um livro tão grosso.Gostei Lost era minha série favorita mas o final foi péssimo.

Tainara H. disse...

Ah, que pena, eu tinha lido uns comentários até que positivos a respeito da série, só não comecei a assistir ainda porque quero ler o livro primeiro e acho que não vou conseguir fazer isso tão cedo. Eu gostei muito da história do livro, é realmente muito interessante e deveria mesmo render uma ótima série, pena que não foi o caso. De qualquer forma, quando eu ler o livro, que é um dos mais desejados por mim, pretendo assistir a série, mesmo não sendo boa, acredito que ao ler o livro gera uma curiosidade em ver a adaptação, então espero que melhore com o tempo e que não seja cancelada. ;D

cristiane disse...

Que pena que eles não aproveitaram uma história que pelo visto tinha tudo pra dar uma ótima série né. Eu não assisti Under the Dome e ainda não li o livro, mas só por ser do Stephen King tenho certeza que deve maravilhoso.

Rossana Batista disse...

Também não gosto quando uma série tem tudo para dar certo e simplesmente não dá. Ai fico pensando no que de melhor eles poderiam ter feito.
Eu na maioria das vezes prefiro o livro.

Larinha Andrade disse...

Adoraria ler Sob a Redoma e estava tentada a assistir a série, mas depois da crítica, minha vontade cessou e acho melhor comprar e ler o livro, e parar por aí. Várias adaptações cinematográficas me deixam seriamente desapontada, por não conseguir transmitir aquilo que a obra realmente é, então sei o que como é terrível ver isso seja no cinema, em séries... O jeito é apenas lembrar o quão bom foi o enredo literário e deixar as comparações para trás.

Roberta Moraes disse...

Ahh, queria que uma vez você postasse uma coluna semanal ou quinzenal sobre algum filme que achou melhor do que o livro. Ia ser interessante!
Eu nem li o livro e nem conhecia :S
Fiquei com vontade de ler o livro e depois assistir a série para ver como é.

Jéssica Soares disse...

Caramba, eu ainda não comecei a assistir a série por ainda não ter lido o livro, mas confesso que fiquei bastante decepcionada ao saber que ela não atinge o potencial que tem. Como você disse, é sempre difícil julgar o que é uma adaptação de qualidade, mas vamos combinar que algo baseado nas obras de King deve ter o tratamento que merece, é uma pena que os produtores insistam nessa ideia de explicar demais um mistério, questionando a capacidade de entendimento do telespectador. Aliás, isso não é só um problema de adaptações, mas de diversos filmes e séries, essa ideia de entregar tudo mastigadinho, tudo explicadinho a quem está assistindo cansa muito. Quem sabe isso mude na segunda temporada... Esperança é a última que morre hehe Adorei o texto! Bjs
Jéssica - http://lereincrivel.blogspot.com.br/

Michelli Santos Prado disse...

Olá Mariana!! Tudo bem??
Não li nenhum livros do autor,mas sempre li muitas resenhas sobre Sob a redoma e ele é o livro que mais desejo para ler. Fico curiosa para saber sobre os personagens, suas historias e sobre a redoma. E não vi nada referente sobre o seriado, pois não li o livro ainda e não veria antes de ter terminado o livro. Espero poder ler em breve, e olhar depois o seriado com uma opinião mais formada.
Bjuss

Nardonio disse...

Sinceramente, não sei o que passa na cabeça da galera envolvida em não seguir a obra original. Se o livro fez sucesso, tem fãs espalhados por todos os lados, e finalmente consegue-se criar um projeto como esses, nada mais natural do que os fãs quererem ver as personagens e situações mais parecidas possível com as do livro. É uma mancada sem explicação.

Seguidor: DomDom Almeida
@_Dom_Dom

Bia Menezes disse...

Bom, eu não sei muito bem o que comentar pois eu nunca li (ou ouvi falar) nesse livro... E nem na série. Mas tipo, esse negócio de adaptações são complicadas, sabe? Seja para séries ou filmes, nunca sai realmente do jeito que esperamos. Tem gente que fala que não se pode passar um livro inteiro em duas horas e tal - se tratando de um livro - mas mesmo assim! Parece que essas pessoas que organizam o roteiro e tal insistem em errar em um monte de quesitos. Isso é chato :s
Beijoca

Foreverbia.blogspot.com

Postar um comentário

 

Além da Contracapa Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger