quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

RESENHA: Boneco de Neve

“Ele prendeu a respiração e escutou. Não, pensou. Não deixe isso acontecer. O mal não é uma coisa, o mal não se incorpora. É o oposto disso, é um vácuo, a ausência do bem. A única coisa a temer aqui é você mesmo.” (NESBO, pag. 90, 2013)

***

São poucos os autores policiais que investem em tramas complexas, dedicando-se a criar histórias eletrizantes e ao mesmo tempo carregadas de tensão, e não em apenas deixar o leitor curioso e usar de artifícios óbvios para fazê-lo virar rapidamente as páginas. Um desses magníficos autores é Jo Nesbo e tendo lido dois de seus livros e gostando muito não só de suas tramas, mas também de sua narrativa e, em especial, de seu protagonista, minhas expectativas estavam altíssimas para “Boneco de Neve”, o sétimo livro da série Harry Hole. E Nesbo não me decepcionou. 

Ao cair da primeira neve do ano, uma mulher desaparece de casa na mesma noite em que um curioso boneco de neve surge em seu jardim, tendo chamado a atenção de seu filho por não estar virado para a rua e sim para dentro da casa, como se estivesse observando a família. Quando a polícia é contatada, o caso intriga o inspetor Harry Hole que há algum tempo recebeu uma carta misteriosa de alguém que se auto-intitulava Boneco de Neve. Ao dar início às investigações, Hole irá descobrir que essa não foi a primeira nem será a última mulher a desaparecer e que as circunstâncias do crime podem ser ainda piores do que qualquer coisa com a qual ele já tenha se deparado em sua carreira. 

Pode-se dizer que os primeiros capítulos de “Boneco de Neve” se reservam o direito de preparar o terreno para a história que está por vir. Usando de um início mais lento, o autor opta por contextualizar o atual momento de vida de Harry Hole e dar ao leitor apenas pequenas migalhas da investigação que está prestes a começar. Embora a vida pessoal e as angústias do inspetor - que tanto fizeram com que ele me cativasse - não ganhem tanto destaque quanto em “A Estrela do Diabo”, o personagem continua a crescer e sua personalidade complexa e atormentada contribui para o tom do livro e também para o desenvolvimento da trama, fazendo com que a história de Hole e o caso que investiga se tornem um só. 

Mas não se engane com o ritmo dos primeiros capítulos, achando que você está diante de mais um livro policial como tantos outros. Além de investir em uma ambientação que faz o leitor sentir o frio de Oslo em sua própria pele, Nesbo constrói seu suspense devagar, fisgando o leitor aos poucos, até que seja absolutamente impossível largar o livro. Verdade seja dita, houve momentos em que fiquei sem folêgo e, ao chegar nas últimas 30 páginas meus olhos não conseguiam absorver o texto com rapidez suficiente. Há muito tempo eu não lia um livro que me deixava desta forma. 

O autor também investe no desenvolvimento do caso como um todo, ao invés de apenas surpreender o leitor nas últimas páginas com a identidade do assassino. “Boneco de Neve” é um livro de muitas respostas, muitas peças que se encaixam aos poucos e revelam outras histórias dentro de uma maior que engloba tudo que o autor, brilhantemente, colocou no livro. Como um quebra-cabeça de centenas de peças que, conforme é montado, mostra pequenas imagens completas, mas que fazem parte de uma figura ainda maior que só pode ser vista quando todas as peças estiverem encaixadas É por isso que o autor consegue surpreender de todas as maneiras e mesmo que o leitor venha a desvendar alguns dos mistérios da trama, existem outros que ele jamais seria capaz de prever. No meu caso, desconfiei da identidade, mas o método e o motivo me deixaram de olhos arregalados. 

Chama atenção também o número de referências musicais ao longo do texto, um claro reflexo da bagagem do autor que é também músico.

Com uma narrativa rica, capaz de transformar mesmo personagens pequenos em seres reais e interessantes, “Boneco de Neve” é mais do que um livro bem articulado que apresenta uma trama bem engendrada. As citaçōes da imprensa destacadas pela editora usam, dentro outros, os adjetivos ambicioso e complexo, que o descrevem perfeitamente. “Boneco de Neve” é um suspense habilmente construído que merece, de fato, ser chamado de suspense e poderia servir como exemplo de livro do gênero, incapaz de decepcionar mesmo aos seus mais exigentes amantes.

Título: Boneco de Neve 
Autor: Jo Nesbo 
N.º de páginas: 418
Editora: Record

9 comentários:

Ana Paula Barreto disse...

Finalmente um suspense digno de se tornar referência!
Como sempre comento, gosto de livros policiais, mas muitas vezes eles se perdem no desvendar dos mistérios. E aqui parece que temos outra abordagem, muito mais elaborada, que prende o leitor e o envolve progressivamente.
Não tinha reparado nesse livro ainda, mas agora foi para a wishlist!
bjs

MsBrown disse...

Olá, Mari. Acredita que agora terei de ler Boneco de Neve? Depois dessa resenha, não há dúvidas, ainda mais que o gênero é um dos meus favoritos. Ótima resenha!

Nardonio disse...

Adoro esses livros em que nos primeiros capítulos, é construída uma base sólida para o desenrolar dos acontecimentos da história. Outra coisa interessante é ver as peças do quebra-cabeça começando a se encaixar para completar a figura, e nos deixar de boca aberta com as respostas.

Seguidor: DomDom Almeida
@_Dom_Dom

Gabriela Cerutti Zimmermann disse...

Mari, seus comentários me deixaram curiosa a cerca do livro e do detetive Harry Hole. Vou procurar os livros quando puder. Ótima resenha.

Abraço!
http://constantesevariaveis.blogspot.com.br/

Jéssica Soares disse...

Desde quando o livro foi lançado, fiquei super curiosa para lê-lo! Não tenho lido muitos livros de suspense ou investigação criminal, mas quando faço isso, procuro uma história certeira e acredito muito que "O Boneco de Neve" seja um exemplo disso... Só fico um pouco angustiada ao saber que este é o oitavo volume da série, gosto de ler na ordem correta das publicações originais, mas nem sempre essa mesma ordem é publicada no Brasil... Fazer o quê né! Adorei a resenha! Bjs
Jéssica - http://lereincrivel.blogspot.com.br/

Paula Souza disse...

Estou louca para ler esse livro desde quando foi lançado!
Agora a vontade só aumentou :P
Não que eu seja fã de livros do gênero, na verdade costumo não ler muitos, mas esse eu achei bem interessante, me chamou muita atenção, depois dessa resenha então *O*
Beijos
http://www.interacaoliteraria.com/

Jessica Lisboa disse...

Eu tenho um certo vicio por livros como esse! Adoro eles, sao do tipo que quando voce começa a ler na consegue desgrudar nenhum minuto a mais, faz um tempo que quero ler Boneco de Neve, espero que este ano consiga.


xx

camila rosa disse...

Nossa eu preciso ler esse livro,eu sou muito curiosa hehe eu nunca li nada desse autor, na verdade eu não conhecia ele até hoje, e pelo que deu para notar pela sua resenha ele é uma grande escritor, eu quero muito ler Boneco de neve.
Beijos!!!

Anônimo disse...

Muito boa sua resenha! Sou apaixonada por Jo Nesbo, seus livros são viciantes!

Postar um comentário

 

Além da Contracapa Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger