sexta-feira, 13 de junho de 2014

RESENHA: Saco de Ossos

Saco de Ossos Stephen King
No final de cada ano temos o costume de eleger quais são as nossas maiores expectativas literárias para o ano que se inicia. E o primeiro livro entre os mais desejados para 2014 era Saco de Ossos de Stephen King. Embora este seja um livro extremamente elogiado pelos fãs, devo dizer que dentre as obras que li do autor, foi a que menos me agradou. 

Após a morte da esposa, o escritor Mike Noonan se vê em uma crise de criatividade/inspiração, e começa a perder sua habilidade de escrever e criar estórias. Assim, sem família e sem ocupação, Mike resolve visitar a casa do lago, que o atormenta cada vez mais em seus pesadelos. Na pequena cidade, Mike conhece Mattie Devore e sua filha Kyra, e acaba se envolvendo na luta dela contra o magnata e ex-sogro Max Devore pela guarda da criança. 

Algo que sempre brilha nas obras de King são seus protagonistas, entretanto, Mike não me cativou nem conquistou minha empatia, mesmo sendo o narrador da estória e compartilhando seus pensamentos e sentimentos. Para ser sincero, o protagonista não conseguiu sequer despertar meu interesse na estória, de modo que não consegui me importar com sua jornada. Max Devore foi o único personagem que apresentou potencial para ser memorável, entretanto, foi subaproveitado. 

Outro fator que considero inerente aos livros do Mestre do Terror é sua capacidade de pegar o leitor pela mão e fazê-lo imergir completamente na obra. Não é por menos que os calhamaços do autor (como Sob a Redoma ou Novembro de 63) não parecem ter o tamanho que tem, visto que o leitor mergulha naquelas páginas e simplesmente não consegue parar. Infelizmente, Saco de Ossos não conseguiu atingir tal patamar. O início é sofrível, lento e monótono. Passadas as cem primeiras páginas, o ritmo melhora significativamente, mas a leitura continua arrastada até o final.

“Talvez, às vezes, os fantasmas estejam vivos – mentes e desejos divorciados de seus corpos, impulsos destrancados flutuando invisíveis. Fantasmas do id, espectro de lugares mais profundos.” (KING, 2012, p. 308). 

Devo reconhecer que este foi o primeiro livro que li de Stephen King que tendesse mais para o sobrenatural e terror. Entretanto, embora tais elementos estivessem presentes e, muitas vezes, me fizessem prender a respiração, não senti aquele medo sempre atribuído aos livros do autor. Certa vez ouvi que a intenção de King era assustar tanto seus leitores que eles não conseguissem desligar a luz na hora de dormir. Bom, não foi dessa vez Mr. King. 

Não lembro como descobri, mas sei que o autor não utiliza de esquemas para escrever suas estórias, limitando-se a escolher uma premissa e, a partir daí, deixar a estória fluir. Esta foi a primeira vez que me pareceu que o método do autor falhou. O livro me pareceu enrolado demais e poderia ter sido condensado de forma a aprimorar a cadência da estória. 

Quem acompanha o blog sabe que tanto eu quanto a Mari consideramos King um dos melhores autores da atualidade. E se há uma tarefa que não gosto é ter de fazer uma resenha negativa de um de meus autores favoritos. Mas a verdade é que Saco de Ossos simplesmente não funcionou comigo

Mas se você está a fim de ler algum livro de Stephen King, opções é o que não faltam. Não deixe de conferir as resenhas de O Iluminado, Carrie, a Estranha e 'Salém.

Título: Saco de Ossos 
Autor: Stephen King 
N.º de páginas: 702 
Editora: Ponto de Leitura


Compre: Amazon
Se apesar da resenha você ainda tiver interesse em ler, então compre o livro pelo link acima. Assim você ajuda o Além da Contracapa com uma pequena comissão.

8 comentários:

Bruna Monteiro disse...

Achei que este livro poderia ser extremamente incrível e ler a sua crítica a respeito do mesmo, meio que me decepcionou e me deixou em dúvida com relação a se devo ou não ler este livro, mas acho uma boa idéia lê-lo para poder tirar as minhas próprias conclusões. E em uma coisa devo concordar contigo, Stephen King é um dos melhores autores. Amei a resenha, beijos!

Inês Gabriela A. disse...

Olá!
Eu confesso que sempre me surpreendo com a quantidade de livros que esse autor escreve, eu sempre me deparo com um livro novo dele. O mais interessante é que além dele escrever muito ele escreve bem, são várias as obras deles elogiadas.
Uma pena que esse livro te desapontou, creio que se um dia superar meu medo do terror e for ler algo dele com certeza não irei começar por esse livro.
Beijos.

memorias-de-leitura.blogspot.com

Gabriela Cerutti Zimmermann disse...

Que triste isso! Ainda não li nada do King mas sei como é chato ter que falar mal de algo que gostamos. Pelo menos sei que não vou começar por esse. Ótima resenha.

Abraço!
http://constantesevariaveis.blogspot.com.br/

pamela mendes disse...

Eu sou doida pra ler qualquer livro do Stephen King, mas até hoje eu só li Carrie.
Tinha bastante vontade de ler esse livro, mas esperava mais deve, e acho que não vou aguentar se ele demora 100 páginas pra começar a melhorar. Também considero Stephen King um dos melhores autores hoje em dia, mas é uma pena que nesse livro não seja tão bom =(
Bjss

Ana Cristina disse...

Ai como eu queria ler os livros do Stephen King, mas sempre vai surgindo os livros na frente e que eu acabo tendo oportunidade de ler primeiro e acabo não lendo os livros dele. =(
Esse parece ser ótimo, pelo menos fiquei bem interessada pela sua resenha... E adorei a capa desse livro. <3

Beijos
http://www.garotaeseuslivros.com/
https://www.youtube.com/user/anacrisinah <3

rafaela disse...

Nunca li nada do Stephen King, mas tenho muita curiosidade! Eu vi essa capa e já logo me chamou atenção...É uma pena o livro não ser tão bom, já é bom saber disso, aí quando for ler algum livro do autor não escolho esse :P
Beijos!

Marco Antonio Marco Antonio Sousa da Silva disse...

Boa tarde,

Não li nada do autor ainda, mas pela sua resenha vejo que esse não é o livro para iniciar .....abraços.

devoradordeletras.blogspot.com.br

Nardonio disse...

É chata essa situação de fazer uma resenha negativa do livro de um de seus autores preferidos, mas é a vida, né?!?! Pela quantidade de obras fenomenais, era praticamente impossível que o Stephen, por mais divo que seja, não tivesse um leve deslize. Só espero que tenha sido apenas esse.

Seguidor: DomDom Almeida
@_Dom_Dom

Postar um comentário

 

Além da Contracapa Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger