sábado, 30 de abril de 2016

RESENHA: A Casa da Dor

“Quantas vezes nesses anos todos ele tinha arriscado o pescoço por Harry em vez de aceitar o bem-intencionado conselho de colegas mais velhos para manter certa distância daquele investigador imprevisível? A única coisa certa com Harry Hole era que um dia alguma coisa ia acabar mal. Mas pelo fato de ele e Harry de alguma forma estranha sempre terem se saído bem, ninguém pôde tomar nenhuma medida drástica. Até agora. Mas a pergunta interessante era: por que ele fazia isso? Ele olhou para Harry. O alcoólatra. O encrenqueiro. Aquele cara às vezes insuportavelmente teimoso e arrogante. E seu melhor investigador (...)” (NESBØ, p.61, 2009)

Desde que li “A Estrela do Diabo” - quinto livro protagonizado pelo detetive Harry Hole - tenho vontade de conferir “A Casa da Dor”, livro que o antecede e que prepara o terreno de alguns eventos que vi no meu primeiro contato com a ótima série escrita por Jo Nesbø.

Um ladrão de bancos está as soltas pelas ruas de Oslo e cabe a Harry Hole descobrir sua identidade e capturá-lo. Enquanto isso, o detetive não vê problemas em aceitar o convite de Anne, uma ex-namorada, para jantar, mas no dia seguinte, ele se vê em casa, sem lembranças da noite anterior e com todos os indícios de que teve uma recaída e bebeu. As surpresas não param por aí. No mesmo dia, o corpo de Anne é encontrado e tudo indica que ela tenha cometido suicídio, porém Harry começa a receber emails de alguém que sabe que ele esteve com a moça na noite anterior. Alguém que talvez tenha sido responsável por sua morte e que pode estar tentando incriminá-lo. Precisando solucionar os dois casos, Harry também continua insatisfeito com as respostas para a morte de sua ex-parceira, assassinada em uma investigação meses antes.

A meu ver, existe uma pequena trilogia dentro da série Harry Hole que se forma a partir do assassinato de Ellen Gjelten, parceira de longa data e amiga do detetive. O interessante é que a morte de Ellen acontece em “Garganta Vermelha”, sendo investigada por Harry em “A Casa da Dor” e provada em “A Estrela do Diabo” (livros 3, 4 e 5 da série, respectivamente). Interessante também é que o crime é testemunhado pelo leitor, de forma que Nesbø não faz suspense com a identidade do assassino, criando expectativa em ver Harry descobrir e lidar com isso. No meu caso, li “A Estrela do Diabo” antes de todos os outros da série e por isso já sabia o desfecho do caso desde o início. Mas Nesbø cria personagens e conflitos tão interessantes nessa sub-trama que um dos meus maiores interesses na série era preencher as lacunas do assassinato de Ellen. Isso se deu com “A Casa da Dor”, já que “Garganta Vermelha” foi o livro que li depois de “A Estrela do Diabo”. Para minha surpresa, Harry não investiga a fundo o assassinato nesse livro. Seu foco está em outros casos (“A Casa da Dor” é o livro mais “profissional” de Hole), mas a morte da ex-parceira nunca sai da sua cabeça. Confesso que eu esperava mais desse arco, mas ao finalizar a leitura, percebi que o autor prepara terreno de maneira espetacular para o que vem pela frente.

Surpresa veio também na forma dele que é um dos meus detetives favoritos da literatura policial contemporânea e, conhecendo Harry Hole, nada poderia me surpreender mais do que vê-lo quase feliz. Digo “quase” porque Hole é alguém cheio de demônios, mas que nesse livro parecem estar quase todos adormecidos. Seu alcoolismo está sob controle, o relacionamento que vive com a mulher que ama está em uma ótima fase e o trabalho vai como o esperado. O personagem está menos “dark”, mas nem por isso perdeu sua essência e é ótimo poder acompanhar uma fase diferente de sua vida (mesmo sabendo que ela não irá durar muito tempo. Pelo contrário. No livro seguinte ele estará mais perto do fundo do poço do que nunca). Isso prova que Nesbø não força características vazias em seu protagonista e sim deixa que ele viva a sua vida (que, como a de todo mundo, tem momentos e momentos). A série não ganha o nome do detetive apenas porque tem ele como protagonista, mas sim porque é a sua jornada, a sua história. Por ser um detetive, ele investiga casos, mas jamais está ali apenas para nos dar as respostas de um crime.

Ainda assim as respostas são fantásticas. Como todos os outros livros de Nesbø, “A Casa da Dor” inicia lento, mas com uma trama envolvente que se revelará bem amarrada e surpreendente. Com dois casos paralelos - o do Magarefe (assaltante de bancos que recentemente assassinou uma mulher sem necessidade) e da morte de Anne (uma artista em busca de sua obra-prima que foi ignorada pela família cigana) – ambos conseguem ser interessantes, tomar seus próprios rumos e trazer reviravoltas inesperadas (uma delas absolutamente genial).

Não considero “A Casa da Dor” um dos melhores livros da série, mas sem dúvida acrescenta elementos interessantes à jornada de Harry Hole.

Título: A Casa da Dor
Autor: Jo Nesbø
Nº de páginas: 480
Editora: Record

23 comentários:

Marlene Conceição disse...

Oi Mariana.

Amei a resenha, o livro me parece ser muito bom, achei bem interessante essa premissa e essa capa é linda, gosto de livros que tem todo esse suspense, e casa da dor me parece ser uma das minhas próximas leituras.
Gostei.
Boa Noite.

Gabriela CZ disse...

Toda vez que vejo você falar de Jo Nesbø fico com vontade de ler algo dele imediatamente, Mari. Essa série do Harry Hole parece mesmo surpreendente, e seus comentários sobre esse livro me deixaram bem curiosa. Preciso ler mesmo. Ótima resenha.

Beijos!

Maria Fernanda Pinheiro disse...

Ainda não li a série, mas fiquei bem interessada pois amo histórias com detetives, principalmente quando se metem em ''enrascadas'', espero conferir , fiquei curiosa em saber mais sobre os dois casos

Bruna Lago disse...

Eu adoro essas series Mari!! Você já leu sobre o detetive Alex Cross? É bem parecido, tem vários livros também, repleto de historias. Eu gostei bastante desse, imagino que eles sejam bem parecidos. Adoro esses livros de investigação e tudo mais.
Bom dia !

Luiza Helena Vieira disse...

Oi, Mari!
Eu nunca li nada do Nesbo, mas tenho vontade. Faz um tempinho que não leio nada policial. Mas, por se tratar de uma série, talvez eu deixe pra depois, já que tenho várias iniciadas.
Beijos
Balaio de Babados

Pitada de cinema e leitura disse...

Adoro tramas investigativas, e a narrativa desse livro parece ser ótima! Adorei a resenha, eu ainda preciso ler um livro deste a autor!

Jéssica Patrício - pitadadecinemaeleitura.blogspot.com

Sil disse...

Olá, Mari.
Acredita que até agora eu estava achando que o autor era uma mulher? hehe. Ainda não li nada dele, mas estou lendo cada vez mais resenhas positivas sobre suas obras e eu como gosto muito do gênero pretendo conferir. Mas dai tenho que ler os outros antes de ler esse hehe.

Blog Prefácio

Ariane Reis. disse...

Oie Mari =)

Não conhecia essa série, mas livros que se passam na Noruega são tão poucos que isso já me chamou a atenção.
O que me deixou um pouco assustada é o fato da série já ser bem grandinha rs..., mas como já fiquei curiosa pelo visto vou ter que correr atrás.

Beijos;***

Ane Reis.
mydearlibrary | Livros, divagações e outras histórias...
@mydearlibrary

Cida disse...

Oi Mari! Eu comecei a ler os livros do detetive H. Hole por Boneco de Neve e depois li O Leopardo, desta forma fiquei imaginando como seria um Hole não tão perturbado. Com certeza eu vou ler todos os livros desta série, pois curto muito o trabalho do autor.

Bjos!! Cida
Moonlight Books

Vida de Leitor disse...

Oi Mari, não curto esse tipo de livro mas uma amiga minha já leu alguns e disse que são bons mesmo.
Eu prefiro livros mais romantizados haha.

Beijos,
Natália

www.doprefacioaoepilogo.blogspot.com

Thalita Branco disse...

Olá Mari!
Se não fosse parte de uma série eu arriscaria ler. Parece fantástico e gosto muito quando os autores divulgam ao leitor a identidade do assassino.
Bjs

EntreLinhas Fantásticas

Leitora Cretina disse...

Olá!!
Nunca tinha visto esse livro, e infelizmente ainda não li nada desse gênero. A trama parece ser realmente envolvente, daqueles que você não consegue tirar o olho do livro!
Adorei a resenha.

Beijão
Leitora Cretina

Desbravador de Mundos disse...

Olá, Mari.
Boas séries policiais tem essa característica de conseguir nos surpreender mesmo quando lemos fora de ordem. Sabemos certas conclusões, mas ainda sim é interessante saber o como. Se o autor consegue esse feito, certamente vou querer ler a obra.
Goste de saber desse jeito mais dark no protagonista; gosto de personagens assim. Mesmo que ele esteja quase feliz nesse livro, quero conferir a personalidade do investigador.

Desbravador de Mundos - Participe do top comentarista de maio. Serão três vencedores!

Carolina Garcia disse...

Olá, Mari!!

Gostei da sua resenha. Está aí um personagem muito interessante. Uma pena que não foi o melhor da série, mas normalmente sempre tem um livro que é mais uma ligação e um prefácio do que virá nas próximas edições, né? Acho que faz parte. :)

Gostei da dica!

Bjs

livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br

Jessica Andrade disse...

Oi Mari,
Ainda não li a série, e confesso que não conhecia o livro. Parece ser bem interessante. Mas não sei se leria no momento.
Bjs e uma ótima noite!
Diário dos Livros
Siga o Twitter

Camila Monteiro disse...

Adorei. Faz tempo que quero um policial bom de verdade. Nada de nhe nhe nhe...
Anotei os nomes todos e quero começar essa série.
Gosto do jeito que vc expõe a obra. Me faz ver vários lados dela.
Dica anotada.

>> Vida Complicada <<

Mari Dahrug disse...

Ainda não conhecia o livro nem a série, mas achei bem interessante. Ultimamente tenho lido praticamente só romances, estou precisando mesmo ler algo diferente, e gosto bastante desses livros investigativos.

http://www.rabiskos.com.br/

Teca Machado disse...

Oi, Mari!
Nunca li nenhum da série, mas fiquei interessada quando você disse que é um dos seus detetives preferidos.
Eu gosto muitooooooo do gênero e é sempre bom conhecer livros novos.
E que diferente num thriller policial o leitor já saber de cara quem é o assassino. Mas não duvido que seja interessante dessa maneira também.
Mas pretendo ler na ordem.
:)

Beijooos

www.casosacasoselivros.com

Elivelton Lopes disse...

Parabéns pela resenha, muito bem estrutura.

Da uma passada no meu blog, tá rolando um sorteio lá. ;)

http://www.vestigiodelivros.com.br/2016/05/sorteio-5-kits-de-livros-5-chances-de_1.html

Caverna Literária disse...

Que história de tirar o fôlego! Faz tempo que não leio um bom suspense, e tudo indica que esse seja maravilhoso. Adorei a resenha, já adicionei o livro aos desejados!

xx Carol
http://caverna-literaria.blogspot.com.br/

Gisele Castro disse...

Amei a resenha, lendo a sua descrição sobre o personagem Harry, me lembrei de outro personagem só que das telinhas, o detetive John Luther da série da BBC Luther, não sei se já assistiu, mas dê uma olhada pois me lembrou muito ele.
Acrescentei na listinha, amei o tema dos livros.
bjos
www.gizahcastro.com

disse...

Ótima resenha... parabéns!! Comecei a ler A Estrela do Diabo, mas resolvi parar e adquirir as obras anteriores da série, dessa maneira creio que as histórias terão um rumo com maior lógica e um desenrolar mais bacana... Agora estou ansioso pela chegada dos livros! Parabéns mais uma vez por suas postagens, vou navegar pelas resenhas anteriores.
Um abraço, Vagner
vagnerkingereski.blogspot.com.br

Fabio Aliende disse...

Olá, estou procurando esse livro mas não acho em lugar nenhum. Quem tiver e quiser vender me manda um email. faliende@terra.com.br

Postar um comentário

 

Além da Contracapa Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger