sexta-feira, 31 de março de 2017

RESENHA: Homens Difíceis

“O programa (The Sopranos) tinha alcançado aquela rara e maravilhosa equação de ser respeitado pela crítica e, ao mesmo tempo, ser um fenômeno popular. (...) podia ser apreciado “em dois níveis”: por seus prazeres viscerais (as guinadas na trama, as palavras usadas erroneamente com efeito cômico, o sangue, o sexo) ou por seus prazeres literários. (...) o programa também podia ser apreciado nesses dois níveis simultaneamente, e o prazer então estava justamente na tensão entre usufruir da cultura e da engenhosidade artística da crítica. O resultado disso foi um fenômeno completo e absoluto.” (MARTIN, 2014, p. 197)

Além dos livros, séries de TV também são um vício que cultivo. Já existiram fases em que eu assistia 3 séries diferentes diariamente, mas hoje escolho melhor as produções que acompanho e procuro não estar no meio de tantas histórias ao mesmo tempo. “Homens Difíceis” me atraiu imediatamente não só por abordar séries das quais eu gosto ou tenho muito interesse em assistir (ou voltar a assistir, como Six Feet Under), mas principalmente por mostrar o contexto dentro do qual essas séries nasceram.

Qualquer “seriemaniaco” sabe que algumas (poucas) séries crescem e cativam de tal forma que se tornam parte das nossas vidas diárias e as histórias de seus personagens passam a ser um pouco nossas também (por exemplo: eu desafio qualquer fã de Friends a dizer que não se depara com frequência com cenas do cotidiano que o remetem à melhor série de comédia de todos os tempos) e, diferente de livros ou filmes, podemos acompanhar essas histórias por anos.

Por isso, acho interessante quando uma aposta arriscada, uma série que tem tudo para dar errado, acaba se tornando um verdadeiro fenômeno cultural, rompendo padrões e abrindo espaço para outras produções. É isso que Brett Martin procura mostrar em “Homens Difícieis”, uma jornada pela chamada “Terceira Era de Ouro da televisão” que tem início com a estreia de The Sopranos: a primeira série a colocar um anti-herói no papel de protagonista (neste caso um mafioso). A história de Tony Soprano e sua família não apenas mudou a cara da HBO como elevou o status da emissora, mudando também a concepção de produtores e roteiristas de que a televisão era o lugar de produções de baixa qualidade (porque até então as grandes produções só tinham lugar no cinema). Além disso, The Sopranos abriu espaço para que outras séries brilhantes pudessem dar vida a personagens problemáticos, cheios de defeitos e até mesmo criminosos.

Eu tinha consciência de que se tratava de um livro de bastidores (e gosto muito disso), mas “Homens Difíceis” me pareceu mais um livro de bastidores dos bastidores, focando mais nos homens difíceis que criaram essas séries do que no processo criativo da série em si. Eu esperava um livro cheio de histórias das pequenas coisas que poderiam não ter dado em nada, mas que se tornaram verdadeiros patrimônios culturais, sobre o porquê dessas séries e esses personagens terem se tornado tamanho fenômeno, o porquê de serem consideradas a ideia mais absurda para apenas depois serem reconhecidas como a mais genial (Breaking Bad, por exemplo, que foi descartada pela HBO, FX, TNT e Showtime, antes de ir parar na AMC e se tornar uma das séries mais perfeitamente executadas da televisão, conduzindo a melhor evolução de personagem que já vi em uma série, ficando atrás apenas da de Danny Rayburn em Bloodline – uma série brilhante que infelizmente não ganha o reconhecimento e badalação que merece). Ao invés disso, encontrei um livro mais sobre as mentes por trás desses programas, o impacto de um programa sobre outro (como, por exemplo, a influencia de The Sopranos em The Wire e, dessa, por sua vez, em The Shield) e o impacto da experiência dos envolvidos em determinado programa na produção do programa seguinte (como Todd Kessler, roteirista de The Sopranos que posteriormente criou com seu irmão a sensacional Damages).

Confesso que em alguns momentos também me perdi na linha temporal. O autor se aprofunda em certos aspectos, depois em outros, para apenas depois mencionar que certas coisas ocorrem simultaneamente. Não chega a atrapalhar o processamento da informação (até porque a narrativa de Martin é bastante fluida e fica clara toda a pesquisa que fez para colher essas informações), mas ainda assim, em alguns momentos em me sentia sendo jogada de um lado para o outro, sem saber exatamente para onde deveria ir.

“Homens Difíceis” mescla informações verdadeiramente interessantes (capaz de deixar você curioso para assistir séries que até mesmo já começou a assistir e não gostou – minha experiência com Mad Men) com outras um tanto monótonas. É, sem dúvida, um livro interessante para os apaixonados pelo mundo das séries, principalmente para aqueles que assistiram as produções em questão (os outros podem pegar alguns spoilers eventuais, mas são poucos) e que sabem que nesta arte, assim como em outras, de quando em quando surge algo capaz de mudar tudo o que conhecemos e nos fazer questionar como as coisas podiam ser como eram antes delas. Uma abordagem diferente do que eu esperava, mas válida mesmo assim.

As principais séries mencionadas no livro são The Sopranos, Six Feet Under, The Wire, The Shield, Mad Men e Breaking Bad.

Título: Homens Difíceis
Autor: Brett Martin
N° de páginas: 366
Editora: Aleph
Exemplar cedido pela editora

Compre: Amazon
Gostou da resenha? Então compre o livro pelo link acima. Assim você ajuda o Além da Contracapa com uma pequena comissão.

21 comentários:

Ana I. J. Mercury disse...

Ainda não conhecia o livro/série, mas deu pra ver que é uma obra bem trabalhada, e que inova nossa maneira de enxergar o papel das séries.
Fiquei bastante curiosa, e confesso, não gosto tanto de série assim, mas vejo que elas têm trazido tanta cultura para a vida cotidiana etc., que to precisando me atualizar mais nesse mundo "seriano".
bjss

Alessandra Salvia disse...

Oi Mari,
Não conhecia e confesso que não me animo muito, porque não consegui terminar de ver Breaking Bad. Eu sei, é terrível, mas não sei o que acontecia, eu sempre dormia na primeira temporada, rs.
Vou passar a dica de hoje!
Beijos
http://estante-da-ale.blogspot.com.br/

Jônatas Amaral disse...

Olá,
Gosto muito de ler esse tipo de livro, que nos levam a nos aprofundar sobre coisas que não ficam explicitas na tela ou nos sites de noticias. Recentemente estou lendo um livro chamado "A música do filme" que traz muitas informações sobre a construção da composição de grandes trilhas sonoras do cinema e é fabuloso ver como era essas pessoas. Não só conhecer o seu método de compor, mas entender tudo que por ali passava.
Imagino que esse livro seja um pouco assim.
Não o conhecia, mas pretendo conhecer. Talvez, até me faça querer assistir Breaking Bad, já que nunca tive interesse nela.

Jônatas Amaral
alma-critica.blogspot.com.br

Marília Leocádio disse...

Não conheço a obra mas me interessou bastante é bem escrito e também uma história com grande Alto conhecimento gostei bastante de conhecer um pouco da obra.
Até mais.

Marta Izabel disse...

Oi, Mari!!
Ainda não conhecia esse livro que fala dos bastidores dessas séries!! Sem dúvida é bem interessante conhecer um pouco mais sobre o de trás das câmeras das séries!!
Beijoss

Gabriela CZ disse...

Já me deparei com esse livro várias vezes e sempre fico na dúvida se devo ler ou não, Mari. Sabes que também sou apaixonada por séries, mas meu receio é por ter acompanhado poucas das séries que aborda. Na verdade, das principais que você mencionou só Breaking Bad mesmo. De todo modo, parece um livro interessante. E quanto às informações monótonas, é um risco que corremos com leituras desse tipo. Enfim, talvez um dia eu leia. Ótima resenha.

Beijos!

Girlene Viey disse...

Muito interessante, eu nunca li nenhum livro que se tratava de bastidores. Mas sobre a serie Breaking Bad, umas das mencionada no livro, foi uma serie bastante falada no meio de fevereiro, e fiquei bastante curiosa em conhece a historia. O bacana desse tipo de livro é você se conecta mais a fundo nos trabalho da serie. Enfim, achei a resenha muito legal, bem diferente o livro

Kéziah Raiol disse...

Oie tudo bem?
Caramba! Que obra prima, fiquei fascinada pela forma que eles construíram. Li ele emprestado de um amigo. Também fiquei meio perdida em algumas partes, mas logo a gente acaba "se achando".

Beijos,
Paixão Literária

Renato Almeida disse...

Olá, tudo bem?
Já havia me deparado com esse livro nas minhas idas à livraria. Cheguei a lê algumas páginas e achado as informações bem interessantes. Gosto muito dos três personagens e do universo presente nas três séries. Enfim, gostei de sua resenha, despertou mais ainda minha vontade de ler.

Até mais. http://realidadecaotica.blogspot.com.br/

RUDYNALVA disse...

Mari!
Sou aficcionada por série, chego a assistir umas 6 ou mais por dia, porque depende do dia.
Acompanhei os Sopranos e amava, como Mad Men que não foi tão boa, mas gostava de assistir e Breaking Bad ainda assisto nas madrugadas no AXN, amo séries.
E ver um livro que fala dos bastidores, é para fãs como eu, embora não seja o esperado, ainda assim gostaria muito de conferir a leitura.
Desejo um mês repleto de realizações e um final de semana de luz e paz!
“ Eu creio que um dos princípios essenciais da sabedoria é o de se abster das ameaças verbais ou insultos.” (Maquiavel)
cheirinhos
Rudy
http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
TOP COMENTARISTA ABRIL especial de aniversário, serão 6 ganhadores, não fique de fora!

Sil disse...

Olá, Mari.
Infelizmente acho que esse livro não é para mim. Até assisto algumas séries, mas dou preferencia para ler do que assistir hehe. E essas citadas no livro eu não assisti nenhuma ainda. E mesmo que tivesse assistido acho que um livro que fala sobre os bastidores dos bastidores como você citou, acho que não é o tipo de leitura que me atrai.

Prefácio

Vanessa Vieira disse...

Gostei da dica Mari. Sou apaixonada por livros, filmes e séries e amo quando uma coisa leva à outra, que foi o que aconteceu com a resenha deste livro. Realmente é uma obra bem interessante. Beijo!

www.newsnessa.com

Kemmy Oliveira disse...

Eu nunca fui de acompanhar várias séries ao mesmo tempo, rs. Só leio vários livros ao mesmo tempo :p
enfim, não conheço nenhuma das séries abordadas no livro, então acabaria pegando esses spoilers que você citou. De qualquer forma, a premissa dele não me agradou e o fato de mesclar partes tão interessantes com outras tão monótonas já afastou qualquer mínima possibilidade de lê-lo. Melhor assistir as séries, mesmo :p

Luiza Helena Vieira disse...

Oi, Mari!
Não conhecia a obra e infelizmente não faz meu estilo, mas achei bem legal o autor abordar o processo de criação dessas séries.
Beijos
Balaio de Babados

O Que Tem Na Nossa Estante disse...

Oi Mari! Acho que é um livro que devo então alinhar minhas expectativas porque eu achava que tinha mais informações bombásticas. Eu adoro série, então, de todas as formas, fiquei curiosa!

Bjs, Mi

O que tem na nossa estante

Priih disse...

Oi Mari, tudo bem?
Das séries mencionadas, só conheço Breaking Bad. Somado ao fato de que não fala tanto das séries e mais dos criadores, o título não me chama tanto a atenção. :(
Beijos,

Priih
Infinitas Vidas

Michael Vasconcelos disse...

Olá!

Adorei a resenha.

http://submundosliterarios.blogspot.com.br/

Carolina Garcia disse...

Oi, Mari!!

Assim como você, tive uma época que assistia várias séries ao mesmo tempo. Hoje em dia, já não dou conta de acompanhar uma única! Hahahahaha

Mas gostei da proposta do livro. Porque são séries que realmente os personagens são "difíceis"... Hahahaha
Lerei um dia ainda.

Bjs!

http://livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br

Livros em Contexto disse...

Oiii!

Que premissa interessante!
Não vi nenhuma das séries, mas acho super legal a ideia do autor de criar um livro falando sobre a criação destas séries que são super conhecidas e premiadas.


Um super beijo
Livros em Contexto

Ariane Reis. disse...

Oie Mari =)

Não conhecia o livro e apesar das séries mencionadas nele serem bem famosas não vi nenhuma, acredita?

Confesso que a principio não é um livro que me chama a atenção, mas que sabe um dia?

Ótima resenha!

Beijos;***
Ane Reis | Blog My Dear Library.

Marco Antonio Marco Antonio Sousa da Silva disse...

Olá Mari, tudo bem?

Não conhecia esse livro, mas achei a premissa interessante e vou colocar na minha lista....ótima resenha...bjs.


http://devoradordeletras.blogspot.com.br/

Postar um comentário

 

Além da Contracapa Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger