sexta-feira, 14 de abril de 2017

RESENHA: Matéria Escura

“Todos nós vivemos, dia após dia, totalmente alheios ao fato de que fazemos parte de uma realidade muito maior e mais estranha do que se pode imaginar.” (CROUCH, 2017, p. 103)

Há quinze anos, Jason Dessen fez uma escolha: abandonar a carreira promissora como cientista e casar com Daniela, a mulher com quem estava saindo há pouco tempo e que estava grávida dele. Agora, Jason não consegue imaginar sua vida sem a esposa e o filho, embora em alguns momentos se sinta frustrado por sua carreira ter se reduzido a de um professor universitário. Então, em uma noite, Jason é raptado por um homem mascarado e acorda preso em um laboratório onde todos o admiram e respeitam. Ele ainda é ele, mas sua vida está longe de ser a mesma já que ali ele é o grande cientista, o homem que fez a mais incrível das descobertas, mas que também nunca se casou nem teve filhos. Agora ele precisa encontrar um jeito de voltar para a própria vida, antes que perca Daniela, Charlie e a si mesmo.

Tudo é uma questão de escolha e são as nossas escolhas que nos definem. Esse é, basicamente, o cerne de “Matéria Escura”, um livro que tem o ritmo de um thriller frenético, uma premissa digna das melhores ficção científicas e leva o leitor a refletir sobre a sua própria vida, afinal, quem nunca se perguntou como a vida seria se tivesse feito uma escolha diferente em determinado momento? E quantas outras escolhas, ou momentos divisórios, essa escolha teria acarretado? Até que ponto a vida iria para o outro extremo? Quantas pequenas e diferentes versões haveria dentro de cada um desses cenários? São essas as questões com as quais Jason se depara em sua busca para voltar para a vida que conhece.

A narrativa se dá em primeira pessoa, de forma que estamos ao lado de Jason em sua jornada e entendemos suas angústias e incertezas. Não se trata apenas de uma escolha do passado. A todo momento ele se vê obrigado a fazer novas escolhas que o colocam em mundos cada vez mais diferentes. Mundos em que catástrofes acontecem, ou em que ele já estaria morto, ou em que perderia Daniela e Charlie de outras maneiras, ou ainda em que ele não viveria um casamento feliz. Os cenários são infinitos, lembrando o protagonista (e o leitor) que a vida pode tomar novos rumos a qualquer momento, basta uma única decisão.

Embora a premissa seja de ficção científica (e a mecânica quântica seja o centro de tudo), vejo “Matéria Escura” mais como um thriller, pois sua trama é uma jornada por sobrevivência, porém recheada de conflitos existenciais.

Apesar de muito da história girar em torno de Daniela e Charlie, eles ganham pouco espaço no desenrolar dos acontecimentos, sendo para o leitor apenas a imagem que o próprio Jason tem deles. Esse é, aliás, o único aspecto em que Crouch peca. Ao optar por dar início ao pesadelo de Jason ainda nas primeiras páginas, não temos a chance de nos afeiçoarmos a ele e a sua família, de entender sua dinâmica e o porquê de ser tão importante para ele retomar aquela rotina. Por um lado, a opção confere agilidade à trama e deixa o leitor com a mesma sensação que acomete o protagonista, ou seja, de ser arrancado da vida que conhece e jogado em meio a uma louca aventura. Mas por outro dificulta que o leitor desenvolva uma verdadeira conexão com o personagem, já que o próprio Jason também não chega a ser um personagem carismático, sendo apenas a vítima (ou vilão?) de toda essa situação.

Ainda assim, “Matéria Escura” envolve o leitor a ponto de fazê-lo devorar suas páginas. Com uma premissa genial (e, felizmente, bem aproveitada pelo autor) a trama aborda a temática dos universos paralelos a fim de mostrar o quão fragmentado e multifacetado o ser humano pode ser. Há algo que nos torna completos? Há algo que define quem somos? São algumas das perguntas com as quais o autor nos deixa.

Título: Matéria Escura
Autor: Blake Crouch
N° de páginas: 349
Editora: Intrínseca
Exemplar cedido pela editora

Compre: Amazon
Gostou da resenha? Então compre o livro pelo link acima. Assim você ajuda o Além da Contracapa com uma pequena comissão.

16 comentários:

Gabriela CZ disse...

Já tinha bastante vontade de ler esse livro por causa do autor (que também escreveu a trilogia que deu origem à série Wayward Pines), Mari. E ultimamente tenho visto comentários que me deixam ainda mais instigada, os seus foram o empurrão final. Parece uma trama bem intrigante e reflexiva que compensa pequenas falhas de enredo. Quero ler. Ótima resenha.

Beijos!

Marília Leocádio disse...

Dizem que a escrita do autor é perfeita e a história super admirável a capa dura super bem trabalhada.
Adorei!!

Luiza Helena Vieira disse...

Oi, Mari!
Essa premissa do cara "esquecer" a família... Me lembrou um filme (ou livro ou série, não lembro agora) que eu gostei bastante. Fora essa pegada ficção científica feat thriller me conquistou.
Beijos
Balaio de Babados
Participe da promoção #Sorteio1KSeguidores

Alessandra Salvia disse...

Olá Mari,
Acho que esse livro não é para mim, rs.
Sou mais fã de romances!
Beijo
http://estante-da-ale.blogspot.com.br/

Adriana Holanda Tavares disse...

Ahh, uma resenha desse livro! Estava curiosa pra saber um pouco sobre ele.
Gosto muito quando a leitura tem um jeito tão bom que a gente fica tão perdido quanto o personagem, se sente na mente dele ou coisas assim. Já me chamou atenção por isso.
E parece que o ritmo é muito bom. Frenético é o melhor. Faz a gente comer páginas e não conseguir largar a história. Dá uma ânsia pra saber as coisas, adoro quando um livro me deixa vidrada assim.
Parece um livro cheio de incertezas e emoção também, gostei disso.
No geral está parecendo uma ótima leitura. Espero conseguir ler também! Gostei dele.

Nessa disse...

Oi Mari
Não conhecia o livro, e me chamou muito atenção, tem um enredo interessante e fiquei curioSA. Me parece ser um livro diferente e adoro ficção cientifica, gostei.

Beijinhos
http://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br/

RUDYNALVA disse...

Mari!
O que achei mais espetacular nesse livro é que a Matéria Escura realmente existe e ele aproveitou e criou uma ficção baseada nela, fenomenal.
Gosto demais dos enredos que trazem universos paralelos e que podemos questionar o quanto nossas decisões podem ou não mudar nosso futuro e se estamos realmente satisfeitos com nossa realidade atual. É até um tanto filosófico, concorda?
Boa Páscoa!
“A sabedoria começa na reflexão.” (Sócrates)
cheirinhos
Rudy
http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
TOP COMENTARISTA ABRIL especial de aniversário, serão 6 ganhadores, não fique de fora!

Kéziah Raiol disse...

Oie Mari, tudo bom?
Nossa, essa capa é meio bugante ou eu que sou louca? Fiquei olhando pra ela uns minutos e quase deu vertigem hahahah'Realmente o livro parece ser bem interessante, e o fato do autor saber como lidar com isto me despertou interesse.

Beijos,
Paixão Literária

Vanessa Vieira disse...

Gostei da resenha Mari. Apesar do mote atrativo e do protagonista ser uma espécie de anti-herói, esse lance de universos paralelos não é comigo...haha. Beijo!

www.newsnessa.com

Bruna Vieira disse...

Oi Mari, tudo bem?

Cara, sua escrita é incrível! Eu adorei a sua resenha e, mesmo não sendo um gênero que me instigue, se eu me deparar com esse livro irei dar uma chance para ele.

Beijos*
https://umminutoumlivro.blogspot.com.br/

Franciele de Santana disse...

Gostei da pegada frenética do livro e da possibilidade do personagem viver várias vidas e com isso dar mais valor a sua antiga vida, fiquei bem interessada em saber como essa história vai terminar, como vai ser abordada a questão do universo paralelo, apesar das falhinhas do enredo.

Ariane Reis. disse...

Oie Mari =)

Já tinha visto esse livro em algum lugar, mas a sua resenha é a primeira que leio dele.

Você sabe que não costumo muito ler livros do gênero, mas algo aqui consegui me chamar a atenção. E como ando dando chances a gêneros que não leio com muita frequência esse é um livro que acredito que valha a pena dar uma oportunidade.

Beijos;***
Ane Reis | Blog My Dear Library.

Aline Goettems disse...

Oi Mari, tudo bem?
Nossa que livro em?
Só pela resenha já senti que esse livro vai me deixar presa do incio ao fim, adoro livros nessa temática, a imagino o quanto vou pensar nos 'e se' mesmo hahaha
Parabéns pela resenha.
Beijos, seguindo aqui <3
http://linegoettems.blogspot.com.br/

O Que Tem Na Nossa Estante disse...

Oi Mari! Eu vi o pessoal da intrínseca falando desse livro e me interessei, a trama parece ser boa e se vc aprova então deve ser bom esmo rsrsrsrsr

Bjs, Mi

O que tem na nossa estante
Sorteio A guerra que salvou a minha vida

Jônatas Amaral disse...

Olá, não me interessei muito pelo livro, mas reconheço que a premissa é muito boa mesmo! Gosto muito de Trillers, mas tenho fugido um pouco deles ultimamente... vou dar mais um investigada sobre esse livro kkk


Jônatas Amaral
alma-critica.blogspot.com.br

Carolina Garcia disse...

Oi, Mari!!

Quando apresentaram esse livro na Sessão Intrínseca eu praticamente quiquei na cadeira de vontade de ler! Hahahaha

Uma pena que ainda não estou podendo comprá-lo e o preço não tem ajudado muito, mas com certeza é um livro que vou ler um dia ainda.
Sua resenha só me deixou com mais vontade! Hahahaha

Bjs!!

http://livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br

Postar um comentário

 

Além da Contracapa Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger