quinta-feira, 22 de agosto de 2013

RESENHA: Branca Como o Leite, Vermelha Como o Sangue

“ — [...]. Graças à liberdade, podemos nos transformar em algo diferente daquilo que somos. A liberdade nos permite sonhar, e os sonhos são o sangue da nossa vida, ainda que muitas vezes custem uma longa viagem e umas bordoadas. ‘Nunca renuncie aos seus sonhos! Não tenha medo de sonhar’ me disse meu avô, ‘do contrário, renunciaria a ser você mesmo’.” (D’AVENIA, 2011, p. 27).

***

Por indicação de nossa querida parceria Duda, do blog BookAdict, estava com muita vontade para conferir alguma obra do autor italiano Alessandro D’Avenia, mais especificamente Branca Como o Leite, Vermelha Como o Sangue. E alerto o leitor desde já que minhas singelas palavras não fazem jus ao livro. 

Leo é um adolescente de dezesseis anos que vê seu mundo em cores: o branco é o silêncio e o vazio, enquanto o vermelho é a vida e a paixão, e o azul é a serenidade. Quando um professor substituto de História e Filosofia  cujo sonho sempre foi ensinar  chega à escola e instiga os alunos a descobrirem quais são os seus verdadeiros sonhos, Leo embarca em uma jornada de auto-descobrimento que envolve não apenas ele, mas também Beatriz  a menina dos cabelos vermelhos por quem está apaixonado, mesmo que não a conheça de verdade.

Através da narrativa em primeira pessoa, acompanhamos Leo em sua jornada que tem por norte o despertar dos sonhos. O protagonista não sabe quais são seus verdadeiros sonhos, mas possui a convicção de que eles estão relacionados a Beatriz, até que descobre que a menina está com leucemia, a doença do sangue branco.

Sabe o tipo de livro que te deixa com um sorriso no rosto? É isso o que acontece com Branca Como o Leite, Vermelha Como o Sangue. Mesmo tratando-se de um livro com uma temática pesada e densa, o autor soube abordar o tema com uma sensibilidade tocante.

Mas não se trata apenas disso. O dom de Alessandro com as palavras é tanto que você imerge na obra, de modo que acompanha Leo de perto, vivenciando com ele todas as suas dúvidas e medos. A proximidade que o livro cria com o leitor é tão grande que se torna impossível não refletir sobre a própria vida, e não perquirir a si mesmo quais são seus próprios sonhos e aspirações.

Embora a premissa não seja inovadora, me recuso a classificar o livro na categoria Sick Lit. Isto porquê o livro vai muito além deste rótulo, abordando tantos temas distintos, de modo que ultrapassa um gênero específico. Aliás, se eu precisasse resumir o cerne da obra em uma frase ela seria: descobrir sonhos e (re)construir relacionamentos.   

O livro conta com capítulos curtos e uma narrativa fluída, o que impulsiona o leitor a ler por horas a fio sem perceber o tempo passar. Os personagens foram bem construídos e ganham vida própria, enquanto os diálogos soam extremamente reais. Não é por menos que o livro reveste-se de verossimilhança da primeira a última página. 

Poético e visceral. Filosófico e desafiador. Dramático e engraçado. Certamente, um dos livros mais impactantes e reflexivos que já li, e que foi o suficiente para me tornar fã de Alessandro D’Avenia.

Título: Branca Como o Leite, Vermelha Como o Sangue
Autor: Alessandro D’Avenia
N.º de páginas: 365
Editora: Bertrand Brasil

12 comentários:

Ana Paula Barreto disse...

Como eu pude ignorar este livro? Sério, nem fui ver, simplesmente pelo título e pela capa. Que tolice!
Estou encantada com sua descrição da história, me parece extremamente sensível (apesar do tema complicado) e bem inteligente. Gosto muito desta vertente mais filosófica e tenho certeza de que também vou virar fã do autor.
bjs
GFC: Ana Paula Barreto

Aione Simões disse...

Oi Alê!
Eu já era curiosa para ler esse livro, e a indicação da Duda fez com que minha curiosidade aumentasse ainda mais! Suas palavras, agora, foram conclusivas: preciso ler esse livro!
Ele realmente me parece incrivelmente tocante e sensível, e sempre fico admirada com a capacidade que alguns autores têm de abordar temáticas pesadas de maneira mais leve, principalmente quando conseguem fugir de clichês, como parece ser o caso!
Beijão!

Gabriela Cerutti Zimmermann disse...

Alex, você me deixou encantada por esse livro! Adorei a descrição e fiquei com uma vontade enorme de ler. Gosto de histórias que nos impulsionem.

Abraço!
http://constantesevariaveis.blogspot.com.br/

GFC: Gabriela Cerutti Zimmermann

Luara Cardoso disse...

Esse livro é FANTÁSTICO. Não tem outra palavra para definir. O autor tem tamanha sensibilidade para a temática que me impressionou. *-*
Coloquei nos meus favoritos. <3

Um beijo,
Luara - Estante Vertical

Rayssa Gimenes disse...

UAU! Que resenha ótima e mais ainda, que livro ótimo!
Necessito tê-lo, me interessei pela história e quero muito saber o que acontece com Beatriz, se ela se cura de sua leucemia. E Leo consegue discernir quais são seus sonhos e correr atrás deles? Aiaiaiai que curiosidade! rs

GFC: Rayssa Gimenes

Duda Menezes disse...

Oi Alê,
Super feliz que gostou do livro :D
D'Avenia escreve como poucos. A narrativa é poética e viciante!
Eu o considero mais como um romance de formação, acho que resume bem a progressão e crescimento interno experimentado pelo Leo. Ele começa o livro de um jeito e termina de outro, transformado pelos acontecimentos.
Tenho certeza que você vai amar o "Coisas que ninguém sabe" também! <3 O autor toma ainda mais liberdade em suas reflexões por ter escolhido narrá-lo em 3º pessoa. É igualmente incrível!
Beijos!

schrotz disse...

Quero tanto ler esse livro. Essa sua resenha foi maravilhosa, parabéns! Parece ser uma história maravilhosa e tocante e, mesmo sem ter lido, não acho que se encaixe somente como sick-lit, afinal, deve ser muito mais profundo que isso. Argh, preciso ler!
http://literallypitseleh.blogspot.com.br/

Jessica Lisboa disse...

Ah ADOREI ADOREI! Estou super curiosidade para ler esse livro a um bom tempo, achei a ideia do autor muito boa, o livro tem um chame que eu nao consigo explicar, espero ler logo esse livro.

Jessica Lisboa
xx

Ana de Cassia Oliveira disse...

Eu preciso deste livro!!! quando eu via a capa deste livro imaginava outra coisa. Mas é um drama bem maior do que eu supunha, quero ficar com um sorriso no rosto ;)

Ana de Cassia Oliveira

Fran disse...

Fiquei com muita vontade de ler o livro depois da resenha *_* Eu já tinha ouvido falar do livro, mas a pessoa que leu não tinha gostado e disse que não valia a pena. Pelo visto ela estava enganada hahahaha, Se tiver oportunidade com certeza lerei =)

Thaynara ribeiro disse...

É a segunda resenha q leio e me apaixonei mais pelo livro!!!
Quero muito ler, espero conseguir esse livro logo!!

Nardonio disse...

Até agora só tenho lido resenhas positivas em relação aos livros do Alessandro D'Avenia. Me parece que esse autor tem uma narrativa tão boa que acaba conseguindo conquistar fãs com apenas um livro.

Seguidor: DomDom Almeida
@_Dom_Dom

Postar um comentário

 

Além da Contracapa Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger