sexta-feira, 11 de agosto de 2017

RESENHA: Me diga quem eu sou

“Os enfermeiros te imobilizam, a injeção te dopa, as amarras te prendem e só resta aguardar em silêncio pela generosidade de alguma mão que talvez te liberte da paralisia.” (GAYER, 2017, p. 44)

Helena Gayer foi diagnosticada com transtorno bipolar aos 21 anos. Esse é o relato da sua trajetória, suas idas e vindas de instituições psiquiátricas, seus surtos, suas humilhações, os perigos em que se colocou, as pessoas que encontrou pelo caminho e sua luta constante contra uma condição que, de tempos em tempos, varre a realidade da sua mente.

Com uma narrativa fluida e sincera, Helena relata de maneira franca um verdadeiro pesadelo que pode começar a se desencadear em qualquer lugar e atingir os mais diferentes níveis de perigo e humilhação.

Embora não se esquive de contar as piores coisas que viveu, Helena não se estende nem se atém a tantos detalhes, falando rapidamente sobre as coisas que lhe aconteceram e, em especial, os episódios de surto e os milhares de recomeços que precisou enfrentar. Nesses relatos, ela mostra o quanto ela mesma não era capaz de entender as coisas que fazia, apenas se deixava guiar pelo impulso de fazê-las. Mostra também o quanto a realidade mais simples (como andar de ônibus ou ir a um restaurante) é apreciada de maneira diferente por quem nem sempre pode usufruir dela.

Fica claro o quão pouco as pessoas entendem sobre os altos e baixos da doença (eu mesma sabia pouca coisa), sobre como estão pouco preparadas para lidar com um pessoa que pode atingir picos de euforia e depressão sem maiores explicações. Mas pior do que isso, fica claro o quão baixo o ser humano pode chegar diante da fragilidade de uma pessoa que não está em posse de suas faculdades mentais (não são apenas um ou dois casos de abuso que Helena compartilha com os leitores).

Formada em jornalismo, Helena Gayer faz um relato íntimo e, ao mesmo tempo, cru sobre a sua condição em um livro que, claramente, tem a intenção de abrir os olhos das pessoas e ajudar aqueles que sofrem da mesma condição que ela.

Título: Me diga quem eu sou
Autora: Helena Gayer
N° de páginas: 113
Editora: Objetiva
Exemplar cedido pela editora

Compre: Amazon
Gostou da resenha? Então compre o livro pelo link acima. Assim você ajuda o Além da Contracapa com uma pequena comissão.

15 comentários:

Renata Leite e Isadora Klauck disse...

Olá! Nossa, o livro parece ser forte e ao mesmo tempo tocante. Fiquei super curiosa para lê-lo, até porque não conheço tanto sobre essa doença.
Beijos,
Meise Renata.
viciadas-em-livros.blogspot.com.br

Isabela Carvalho disse...

Olá Mari ;)
Não conhecia o livro ou a autora ainda, mas pela sua resenha deu para sentir que é um livro tocante e que emociona o leitor.
Acho que nunca li um livro com uma personagem que tivesse transtorno bipolar, ainda mais sendo uma história verídica que a própria autora viveu!
Deve ter sido difícil para ela abrir o coração e falar sobre tudo o que passou, nos mostrando o quanto ela mesma não conseguia entender as coisas que fazia.
Vou ler o livro sim, obrigada pela indicação!
Bjos

Gabriela CZ disse...

Não conhecia esse livro, Mari. Faz pouco que começou a se falar mais abertamente sobre transtorno bipolar, e infelizmente pouca gente realmente se dispõe a compreende-lo. Basta ver o tipo de piadas que se fazem a respeito. Confesso saber pouco sobre, mas sei que é uma doença bastante difícil. Fiquei interessada nesse livro. Saber como alguém real lida com a bipolaridade. Ótima resenha.

Beijos!

Giulianna Santicioli disse...

Já vi esse livro por aí mas nunca tinha parado para ver sobre o que se tratava, adorei o tema dele e acho que não temos muitos relatos verdadeiros sobre a bipolaridade, também não tenho muito conhecimento sobre a doença e acho que esse livro me ajudaria muito a entender mais sobre ela.
Beijos!

Márcia Saltão disse...

Oi.
Nossa, o livro traz um tema forte e bem difícil. Nunca li nada nesse estilo, mas o enredo parece ser informativo e traz um reflexionamento sobre a doença e a vida.
Não tenho conhecimento sobre essa doença, mas acredito que com a leitura, possa entender melhor.
Abraços.

Carolina Garcia disse...

Oi, Mari!!
Tudo bem?

Eu também sei em teoria o que é a síndrome do bipolar, mas com certeza não posso nem imaginar como deve ser conviver com essa doença e tudo o que essas pessoas passam.

Gostei muito da sugestão e com certeza vou ficar de olho para uma leitura futura.

Bjs

http://livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br

Mi Tavares disse...

Olá! Tudo bom?
Obrigada pela sugestão, eu não conhecia o livro e pelo o que você falou, parece ser bastante forte. Gostei mesmo e ele irá entrar para a minha lista de leitura.
Beijos

http://5pmtea.blogspot.com.br

Pandora disse...

Esse é o tipo de livro necessário. Nossa especie tem um sério problema de empatia com o sofrimento que não é aparente, ainda tem gente pensando que problema psicológico não é problema tornando necessário falar sobre isso mais e mais. Adorei a resenha, não conhecia o livro e agora já quero.

Uma Pandora e sua Caixa

Nicole Longhi disse...

Oi Mari,
Não conhecia o livro e nem a autora.
Mas gostei bastante dela abordar um tema tão difícil e mostrar como as pessoas sabem pouco sobre isso e não tem empatia e nem paciência para lidar com esses altos e baixos.
Fiquei curiosa para saber mais sobre a leitura e sobre o assunto.

beijinhos
She is a Bookaholic

Victor N. Souza disse...

Oi Mari! Tudo bem?

Não gostei do título, mas sua resenha quase que me convence a lê-lo, por simplesmente estar muito boa.

Grande abraço,
www.cafeidilico.com

Rissia Ribeiro disse...

Oi mana, temos aqui um livro obviamente para pessoas fortes afinal não é qualquer um que ler e também não é qualquer um que abre mão dá privacidade pra compartilhas suas experiências mais traumáticas. Essa mulher tem meu respeito. Obrigada pela resenha mana, eu vou procurar saber mais sobre esse livro.

Rafaela. disse...

Oi, Mari!

Nunca li um livro com este tema, por isso fiquei super interessada. Achei incrível o fato de ela escrever sobre isso, pois muitas pessoas não conhecem muito bem esse transtorno, nem o que ele pode causar.
Adorei sua dica! Vou incluir na minha lista de leitura.

Beijocas.
http://artesaliteraria.blogspot.com.br

Vivian San Juan disse...

Oi Mari!

Muito interessante a história de Helena. Particularmente nunca li nada sobre histórias com o tema de transtorno bipolar. Parece ser um livro bem intenso, mas ao mesmo tempo mostrando a luta de uma pessoa em viver melhor com essa doença. Gostei da dica!

Beijos

Vivian
Saleta de Leitura

Naiara Fidelis Da Silva disse...

Eu não conhecia o livro, porém a história me chamou a atenção.

Eu gosto de história que tratam sobre transtornos e sendo um relato da própria autora, me chamou mais atenção ainda.

Marta Izabel disse...

Oi,Mari!
Nunca li nenhum livro sobre bipolaridade, e pelo que li na resenha esse livro mostra como as pessoas são tratadas quando tem alguma doença que elas não entende.
Bjoss

Postar um comentário

 

Além da Contracapa Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger